Uso de Viagra combinado a outro medicamento pode facilitar transplantes de medula óssea

Uso de Viagra combinado a outro medicamento pode facilitar transplantes de medula óssea

Pesquisadores da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, descobriram que o uso de Viagra combinado com Plerixafor possibilita a mobilização de células-tronco da medula óssea para a corrente sanguínea em apenas 2 horas. Esta abordagem pode ser utilizada para facilitar transplantes de medula óssea, pois torna a coleta de células-tronco hematopoiéticas mais prática, segura e menos dolorosa.

Já vimos em um post anterior que o transplante de células-tronco hematopoiéticas (CTHs) é uma modalidade terapêutica amplamente utilizada no tratamento de doenças do sangue, sejam elas benignas ou malignas, hereditárias ou adquiridas ao longo da vida. Esse tipo de transplante consiste em fornecer ao paciente células progenitoras que, em geral, são provenientes da medula óssea de um doador. Estas células migram para a medula óssea do paciente, iniciando sua reconstituição hematopoiética, ou seja, o processo de fabricação de células sanguíneas normais.

Originalmente, a fim obter as CTHs para transplante, era necessário perfurar o osso do quadril do paciente e usar uma agulha especial para remover as células diretamente da medula óssea. No entanto, o procedimento mais comum atualmente consiste em coletar as células diretamente do sangue do paciente, usando medicamentos para fazer com que as células-tronco se movam da medula óssea para a corrente sanguínea.

Na abordagem convencionalmente utilizada para provocar a mobilização das CTHs da medula à corrente sanguínea, o paciente deve receber injeções diárias de um fator de crescimento chamado GCSF, normalmente por 4 a 6 dias, até que as células-tronco possam ser coletadas. Embora este procedimento seja menos invasivo do que extrair células diretamente da medula óssea, ele nem sempre é bem-sucedido, pois geralmente causa dor óssea e outros efeitos colaterais que muitas vezes não são tolerados pelos pacientes.

Em um estudo publicado por pesquisadores da Universidade da Califórnia, foi demonstrada uma abordagem medicamentosa alternativa, que mobiliza células-tronco da medula óssea em apenas 2 horas. Tal abordagem envolve uma dose oral única do medicamento Viagra seguida, duas horas depois, por uma única injeção de Plerixafor.

A equipe conduziu o estudo em camundongos e precisará realizar ensaios clínicos em humanos para confirmar a segurança e a eficácia do novo método. Os pesquisadores ressaltam, no entanto, que os dois medicamentos já são aprovados pela agência regulatória americana FDA e são relativamente baratos. Logo, acreditam que a inserção desta abordagem na rotina clínica pode ser muito mais rápida e barata do que testar compostos não utilizados anteriormente em seres humanos.

A técnica desenvolvida pode ser especialmente útil para pacientes com doenças falciformes, por exemplo, que não toleram o GCSF porque o fator de crescimento piora seus sintomas. Porém, se suas CTHs puderem ser coletadas com segurança, usando estratégias alternativas como Viagra e Plerixafor, as células-tronco poderão ser geneticamente modificadas para corrigir a mutação falciforme e retornadas aos pacientes para curar essa doença crônica herdada. A terapia gênica para doença falciforme e outros distúrbios genéticos do sangue mostrou-se promissora em ensaios clínicos e pode impedir a morbidade ao longo da vida, altos custos médicos e mortalidade precoce associada a essas doenças.

A equipe argumenta que tornar o processo de obtenção de CTHs mais prático, mais seguro e menos doloroso, pode beneficiar inúmeros pacientes. Por exemplo, alguns transplantes de medula óssea usam as células-tronco do próprio paciente para permitir o tratamento com altas doses de quimioterapia ou radiação, que podem danificar a medula óssea. Em muitos casos, no entanto, o paciente precisa de novas células-tronco fornecidas por um doador saudável. Um método mais fácil de obter as células para transplantes poderia atrair mais doadores voluntários.

O Viagra, mais conhecido como tratamento para disfunção erétil, é um medicamento seguro e bem estudado que promove o alargamento dos vasos sanguíneos (vasodilatação), o que aumenta o fluxo sanguíneo para os tecidos. Inicialmente desenvolvido como um tratamento para pressão alta, agora é usado para tratar uma variedade de distúrbios vasculares, incluindo hipertensão pulmonar, doenças da altitude e pré-eclâmpsia.

A equipe de pesquisadores decidiu testar a capacidade do Viagra de ajudar a mobilizar CTHs da medula óssea após observar que alterações vasculares em uma linhagem de camundongos que eles estudavam levaram a uma maior mobilização de células-tronco. Os camundongos estudados não possuíam o gene para uma proteína da superfície celular chamada Robo4, que uma pesquisa anterior do grupo havia mostrado ser capaz de regular a integridade dos vasos sanguíneos para manter as células-tronco na medula óssea.

Já o Plerixafor, o outro medicamento da combinação, é um inibidor de Cxcr4, um receptor presente na superfície das CTHs que as ajuda a se manterem no seu nicho na medula óssea. O Plerixafor é capaz de mobilizar células-tronco, mas não é muito eficaz por si só. Quando os vasos sanguíneos são dilatados pelo Viagra, as células mobilizadas pelo Plerixafor têm maior capacidade de sair para a corrente sanguínea.

O Viagra por si só não levou a aumentos detectáveis nas CTHs no sangue, portanto, os pacientes que o utilizam por outras razões não precisam se preocupar com a mobilização inadvertida de células-tronco, segundo os autores do estudo.

Referências
Smith-Berdan, S. et al. Viagra enables efficient, single-day hematopoietic stem cell mobilization. Stem Cell Reports 13 (2019) 1–6.

https://medicalxpress.com/news/2019-10-viagra-bone-marrow-transplants.html


Anterior: Molécula encontrada no vinho tinto pode melhorar a eficiência da terapia gênica com células-tronco hematopoiéticas